Apresentação Mini-hídrica, Marés e Ondas.PT

Mini-Hídrica

A energia hidroelétrica refere-se a uma energia alternativa que resulta do ciclo hidrológico da água e faz uso da força gravitacional da água que cai. O caudal e altura de queda de água determinam o montante da energia disponível. Quando a água fluente faz girar lâminas numa turbina, a energia cinética é transformada em energia mecânica. A turbina gira, sendo que o rotor do gerador converte esta energia mecânica em energia elétrica.

Actualmente existe em Portugal uma capacidade instalada de 300 MW em mini-hídrica. 

Este baixo valor de potência deve-se sobretudo às dificuldades de licenciamento deste tipo de sistema. As pequenas centrais hidroelétricas, também conhecidas como centrais mini-hídricas, fazem o aproveitamento da energia potencial hídrica da água obtida através do seu armazenamento num reservatório ou embalse (barragem) a montante das turbinas hidráulicas. A produção de energia elétrica é conseguida após a conversão da energia potencial gravítica da água em energia cinética durante a sua queda desde o reservatório a montante, até às turbinas, localizadas a uma cota inferior. A energia cinética da água em movimento induz a rotação das pás das turbinas, através das quais é feito o aproveitamento da energia mecânica para produção de energia elétrica através de um gerador.

 

Energia das Marés

A tecnologia de aproveitamento da energia das marés, à semelhança da tecnologia das centrais hidroelétricas, recorre ao aproveitamento da energia cinética contida no movimento das massas de água ocasionado pelas forças gravitacionais associadas às marés.

O princípio geral desta tecnologia consiste em fazer o aproveitamento do desnível da superfície de água, junto à costa, entre a preia-mar e a baixa-mar. Tal como numa central mini-hídrica recorre-se ao aprisionamento da água num reservatório, durante a preia-mar, aproveitando o desnível criado por ocasião da baixa-mar para libertar a água retida e fazer girar turbinas hidráulicas colocadas a uma cota inferior para aproveitar a altura de queda de água, e o movimento cinético desta.

 

Energia das Ondas

São diversas as tecnologias de aproveitamento da energia cinética das ondas, sendo que a maioria delas se encontra ainda fase de desenvolvimento não se encontrando disponíveis à escala comercial. Alguns dos protótipos existentes baseiam-se em tecnologia das turbinas hidroelétricas para produzir energia, outras recorrem à utilização de sistemas óleo-hidráulicos que propulsionam geradores eléctricos (i.e. Pelamis).

Portugal tem assumido, nos últimos anos, um papel preponderante no desenvolvimento de tecnologia para o aproveitamento de energia das ondas, tendo inaugurado a 23 de Setembro de 2008 o primeiro parque de ondas pré-comercial do mundo, localizado ao largo da costa da Aguçadora (Póvoa do Varzim).

 

Voltar para Grupos Complementares

  • son

  • 2

  • 5

  • 6

  • 7

  • 9

  • 10

  • 11

  • 12

  • 13

  • 14

  • 15

  • 16

  • 17

  • 18

  • 19

  • 19

  • 19 

  • 19  

  • 19

  • 19   

  • 19    

  • 19   

  • 19    

  • 19   

  • 19    

  • 19     

  • 19     

  • 19    

  • 19   

  • 19 

  • 19